Entre os processos logísticos essenciais para o sucesso das empresas no mercado atual, a gestão eficiente do almoxarifado ainda representa um desafio para os gestores, causando prejuízos consideráveis para os negócios quando não é feita de maneira adequada.

No artigo de hoje, você vai saber quais são os 7 erros mais comuns no gerenciamento de almoxarifado e o que pode ser feito para evitá-los. Confira e esclareça todas as suas dúvidas sobre esse assunto!

1. Falhas no controle de estoque

Sem um controle de estoque eficiente, é impossível garantir bons resultados no gerenciamento de almoxarifado, uma vez que ambos são processos complementares.

O planejamento de compras fica prejudicado nesses casos, fazendo com que sejam feitas aquisições desnecessárias ou que faltem mercadorias no estoque, causando o desperdício de recursos.

Por isso, é preciso manter as informações sobre a rotatividade de produtos sempre atualizadas, permitindo que todos os setores da empresa tenham condições de fornecer dados ou acompanhar o andamento dos processos.

Para evitar esse problema, a automatização do controle de estoque, por meio de softwares e aplicativos específicos, é uma das soluções mais efetivas.

Outro erro no gerenciamento de almoxarifado bastante comum, e que está relacionado às falhas no controle de estoque, é a incapacidade de atender às demandas dos clientes de forma ágil e satisfatória.

2. Incapacidade para atender os pedidos

Uma das principais consequências de um controle de estoque ineficiente é a incapacidade para atender às necessidades dos clientes com agilidade e qualidade.

Em um mercado extremante competitivo, no qual os consumidores estão cada vez mais exigentes e conscientes dos seus direitos, as empresas que não investem no gerenciamento de almoxarifado podem perder espaço para a concorrência.

Para evitar que isso aconteça, além de investir no uso da tecnologia para promover o controle de estoque eficiente, as empresas devem incluir o gerenciamento de almoxarifado nas etapas iniciais do seu planejamento estratégico em logística.

Assim, é possível prever as demandas de maneira antecipada, propondo soluções que possam garantir o atendimento das necessidades de cada cliente.

3. Desconhecimento sobre os movimentos do mercado

Em se tratando do gerenciamento de almoxarifado, as empresas que não olham para as oscilações e mudanças do mercado perdem a capacidade de adaptar-se às demandas e, consequentemente, perdem oportunidades de negócio.

Entretanto, ainda é bastante comum ver empresas que desconsideram o estudo de mercado em seu planejamento de logística, ignorando as tendências mais atuais em gestão empresarial, as quais pregam a análise constante das demandas como imperativo de sucesso.

É preciso saber sobre a sazonalidade dos produtos, sobre o volume de vendas e sobre os principais interesses dos clientes, entre outros fatores.

Quando os gestores conhecem bem a realidade de mercado, as empresas conseguem adequar as condições do estoque às possibilidades dos fornecedores, otimizando os níveis do estoque.

4. Falhas na comunicação com fornecedores

Quando a comunicação com os fornecedores é feita de maneira eficaz, as empresas podem negociar melhores prazos, conseguir descontos e garantir outras vantagens ao manter os níveis do estoque sempre no melhor estado.

No entanto, para alcançar esses benefícios, os pedidos decorrentes da demanda percebida no gerenciamento de almoxarifado não podem ser feitos de forma apressada ou com lacunas que deixem dúvidas sobre quantidade de mercadorias ou frequência de entrega.

Para evitar que isso aconteça, as empresas devem investir em iniciativas para melhorar o relacionamento com seus fornecedores, tais como a construção de um plano de comunicação específico ou a aquisição de softwares que possibilitem a troca de informações diretamente entre os fornecedores e o estoque.

Assim como a comunicação com os fornecedores, a segurança dos colaboradores também é fundamental para o sucesso no gerenciamento de almoxarifado.

5. Negligência em relação às normas de segurança

As operações realizadas nos almoxarifados, estoques e demais espaços de armazenamento ou movimentação de mercadorias são potencialmente perigosas, pois podem envolver o uso de ferramentas e veículos propensos a acidentes, como as empilhadeiras ou os guinchos.

As empresas que ignoram as normas de segurança do trabalho e expõe seus colaboradores a riscos desnecessários podem pagar muito caro por essa atitude irresponsável.

Além de serem obrigadas a arcar com todos os custos relacionados a processos judiciais decorrentes de acidentes, as empresas podem ter sua reputação comprometida de forma definitiva, afetando o futuro de suas operações no mercado.

Por isso, é preciso seguir as normas e manter os almoxarifados bem organizados, com ventilação e iluminação adequadas e devidamente sinalizados. Além disso, os colaboradores devem usar todos os equipamentos de segurança exigidos pela legislação trabalhista.

Nesse sentido, o treinamento e capacitação da equipe torna-se uma exigência fundamental, conforme você vai entender agora.

6. Ineficiência na capacitação dos colaboradores

Para que todas as estratégias e ações visando à prevenção dos erros no gerenciamento de almoxarifado tenham sucesso, é preciso investir constantemente na capacitação dos colaboradores.

Os gestores podem realizar cursos internos ou contratar prestadores de serviços qualificados para executar formações específicas sobre gestão de estoque, segurança, organização e outras temáticas.

Somente com uma equipe bem treinada e consciente é possível ter o máximo desempenho em todas as etapas importantes para que os processos logísticos alcancem os melhores resultados.

Além disso, o investimento na equipe de trabalho agrega valor ao negócio e faz do time de colaboradores um grande diferencial competitivo, o que é essencial para que as empresas possam se destacar perante a concorrência.

Na verdade, toda a cadeia logística pode ser um fator de sucesso para as empresas, desde que haja o compromisso com a otimização dos processos logísticos. É sobre esse assunto que vamos falar agora, finalizando o nosso artigo.

Como otimizar os processos logísticos e evitar os erros no gerenciamento de almoxarifado?

O primeiro cuidado que as empresas devem ter em relação à otimização dos processos gerenciais e operacionais diz respeito ao emprego qualificado da tecnologia em logística. Os gestores devem conhecer bem a variedade de softwares e aplicativos disponíveis na atualidade, optando por aqueles que possam atender às demandas da sua empresa da melhor forma possível.

Outro aspecto importante para o sucesso em logística está relacionado ao conhecimento sobre as normas tributárias aplicadas ao transporte e à distribuição de mercadorias, garantindo que todas as ações da empresa ocorram em conformidade com a legislação.

Por fim, é necessário investir na logística integrada, garantindo que todos os setores da empresa tenham visão e postura estratégia em relação às diversas atividades de logística.

Agora que você já sabe quais são os erros mais comuns em gerenciamento de almoxarifado e o que deve ser feito para evitá-los, que tal continuar o aprendizado conferindo um artigo sobre os processos logísticos mais importantes para um centro de distribuição?